You are currently viewing Síndrome do olho seco é mais frequente do que se imagina

Síndrome do olho seco é mais frequente do que se imagina

  • Post category:Oftalmologia

A Síndrome do Olho Seco é uma das principais patologias oculares, diagnosticadas com muita frequência nos consultórios oftalmológicos. Cerca de 18 milhões de brasileiros sofrem com essa condição ocular, presente principalmente em mulheres, acima dos 40 anos de idade.

A expressão ‘olho seco’ não é a mais adequada, porque muitas vezes existe a produção de lágrimas, porém a qualidade das mesmas é alterada. Isso leva à intensa evaporação lacrimal, acompanhada de sintomas e sinais característicos.

Quais são os principais sintomas e sinais?

O paciente que apresenta essa disfunção lacrimal queixa-se de ardência, sensação de corpo estranho, secura ocular, dor nos olhos, lacrimejamento, visão turva e fotofobia.

Essa série de sintomas quando se perpetua por muito tempo, traz muitos incômodos ao paciente nas suas atividades profissionais e sociais. Sabe-se que até mesmo alterações comportamentais, como a depressão, podem acompanhar os quadros de síndrome do olho seco.

Quais são as causas do olho seco ou disfunção lacrimal?

Várias são as causas do olho seco, que na verdade é considerada uma doença multifatorial. Dentre as principais causas destacam-se: alterações hormonais como se observa na menopausa, conjuntivites alérgicas, diabetes, doenças reumáticas (Síndrome de Sjögren, artrite reumatoide e lúpus), doenças dermatológicas como a rosácea, uso de lentes de contato, inflamação das glândulas presentes nas pálpebras, uso de medicamentos (anti-histamínicos, anti-hipertensivos, psicotrópicos, anticoncepcionais), maquiagem e poluição.

Deficiência de vitaminas  A , C ou ômega 3 também estão relacionadas à síndrome do olho seco. O uso abusivo de telas de celulares e computadores é outro ponto de atenção relacionado ao olho seco, pois nessas atividades as pessoas piscam de forma inadequada contribuindo para os sintomas de secura ocular.

Como tratar o olho seco?

A síndrome do olho seco não tem cura, mas com alguns cuidados e medicações adequadas o alívio dos sintomas é obtido, melhorando significativamente a qualidade de vida dos pacientes.

Medidas importantes: remover a maquiagem adequadamente, limpeza frequente dos cílios e das pálpebras, realizar pausas no uso de celulares e computadores, evitar ambientes muito refrigerados e estimular o ato de piscar.

Medicamentos: utilizar lágrimas artificiais na forma de colírios ou gel. Utilização de colírios anti-inflamatórios. Reposição de vitaminas e ômega 3. Em alguns casos, prescrição de antibióticos como a tetraciclina pode ser receitados.

Cirurgias: nos raros casos em que não se obtém o controle dos sintomas, alguns procedimentos cirúrgicos podem ser indicados como a oclusão dos pontos lacrimais e cirurgias nas pálpebras.

Procure sempre o seu oftalmologista

O diagnóstico e tratamento da síndrome do olho seco não são simples, exigindo exame oftalmológico especializado. Vários exames serão realizados em consultório para confirmar o diagnóstico. Utilizam-se corantes oculares como a fluoresceína e rosa bengala, avalia-se a produção lacrimal por meio do teste de Schimer e em alguns casos avaliação citológica das células conjuntivais.

Apenas o médico oftalmologista terá condições de realizar o exame oftalmológico completo para o diagnóstico e tratamento adequado dessa doença tão comum e incômoda.

Não sofra! Procure o seu médico e mantenha a saúde dos seus olhos em dia.

O texto foi esclarecedor para você? Então compartilhe este texto em suas redes sociais e ajude seus amigos a também se prevenirem do olho seco.