mulher coçando os olhos

Saiba o que é e como prevenir a conjuntivite

A conjuntivite é uma das enfermidades mais comuns a acometer a região ocular, principalmente durante o verão.

Nesta época o número de casos aumenta bastante, principalmente nas regiões litorâneas, por conta da concentração de pessoas em praias e piscinas.

Ela é bastante contagiosa e, por isso, são comuns surtos da doença nesta época.

Apesar de geralmente ser eliminada pelo próprio organismo em alguns dias, em determinados casos ela pode trazer complicações e até causar danos permanentes para a visão.

A seguir, você entenderá melhor estes perigos e como prevenir a conjuntivite.

O que é a conjuntivite?

É a inflamação da conjuntiva, uma membrana fina e transparente, que cobre a parte branca do nosso olho.

Quando ocorre alguma irritação da conjuntiva, pode acontecer uma inflamação, que deixa o olho vermelho, um sinal característico dessa doença.

Ela é uma inflamação simples que, geralmente, não deixa sequelas e dura de 7 a 15 dias.

No entanto, em alguns casos, principalmente quem possui conjuntivite crônica (quando ela acontece de maneira repetida), pode gerar problemas mais graves, comprometendo a visão.

Quando a conjuntivite tem origem bacteriana ou viral, possui um alto poder de infecção e, por isso, se torna bastante contagiosa.

Quais as causas?

Pode ocorrer por 2 principais causas: alergias ou infecções.

A conjuntivite infecciosa pode ser adquirida através de vírus, bactérias ou, em casos raros, por fungos.

Um estudo recente publicado na Revista Brasileira de Oftalmologia, avaliando 783 pacientes, confirmou que a conjuntivite foi responsável por quase 40% das urgências oftalmológicas, com 302 casos. Destes, 75% deles tiveram origem bacteriana.

Conjuntivite bacteriana

É causada por bactérias, como a Haemophilus influenzae e a Streptococcus pneumoniae. Os sintomas incluem vermelhidão, coceira, lacrimejamento e secreção purulenta. A conjuntivite bacteriana é tratada com colírios ou pomadas antibióticas.

Conjuntivite viral

É causada por vírus, como o adenovírus, e é altamente contagiosa. Os sintomas incluem vermelhidão, coceira, lacrimejamento e secreção ocular. A conjuntivite viral geralmente desaparece espontaneamente em alguns dias, mas, em alguns casos, pode requerer tratamento médico.

Conjuntivite alérgica

Também conhecida como conjuntivite primaveril, ou febre do feno, é causada por alérgenos, como pólen, ácaros, fumaça, maquiagem, cloro da piscina, pelos de animais etc. Os sintomas incluem vermelhidão, coceira, lacrimejamento e congestão nasal. A conjuntivite alérgica pode ser tratada com colírios ou pomadas anti-histamínicas, ou com medicações orais.

Conjuntivite fúngica

Este é um tipo de conjuntivite bastante raro, que ocorre quando alguém machuca os olhos com madeira ou material que possui sujeira e fungos. Esta é uma doença difícil de tratar, podendo causar complicações graves à visão.

Como prevenir?

Como a maioria dos casos de conjuntivite é alérgica ou infeciosa (viral ou bacteriana), é importante ter comportamentos que promovam uma maior higiene e evitem situações de risco, que facilitem a infecção.

Algumas recomendações são:

  • Lave as mãos com frequência: a lavagem das mãos é uma das medidas mais eficazes para prevenir a conjuntivite. É importante lavar as mãos antes de tocar nos olhos, e depois de ter contato com pessoas ou objetos que possam estar contaminados.
  • Não compartilhe objetos pessoais: evite compartilhar objetos pessoais, como toalhas, lenços, colírios e pomadas, que podem estar contaminados com vírus ou bactérias. Se você precisar usar objetos compartilhados, lave as mãos antes e depois de usá-los.
  • Proteja-se de alérgenos: se você tem conjuntivite alérgica, é importante proteger-se de alérgenos, como pólen, ácaros e pelos de animais. Mantenha as janelas fechadas durante períodos de alta incidência de pólen, e evite caminhar em áreas cobertas de grama ou flores. Se você tem alergia a animais, evite o contato com animais ou mantenha-os longe dos ambientes em que você passa muito tempo.
  • Ao nadar, sempre que possível, utilize óculos de natação para se proteger de bactérias e outros microrganismos presentes na água.
  • Não use lentes de contato ou maquiagem na região dos olhos enquanto eles ainda estiverem vermelhos ou irritados. É importante descartar maquiagens e lentes de contato que foram utilizadas enquanto você estava com conjuntivite, evitando a reinfecção.
  • Evite o contato com pessoas contaminadas por conjuntivite. Qualquer interação mínima pode causar uma infecção. Por isso, evite abraços, apertos de mãos, contatos próximos, compartilhamento de itens, etc.
  • Trate as infecções oculares rapidamente: se você desenvolver sintomas de conjuntivite, procure um centro oftalmológico O tratamento precoce pode ajudar a prevenir a disseminação da doença e evitar complicações.

O que fazer se estiver com conjuntivite?

Ao sentir algum dos sintomas como vermelhidão, lacrimejamento, inchaço nas pálpebras, intolerância à luz ou vista embaçada, é importante evitar coçar os olhos.

Depois, você deve ser avaliado por um médico oftalmologista, para que ele possa identificar o tipo adquirida: se é bacteriana, viral, fúngica ou alérgica.

Somente médicos ou clínicas especializadas na saúde dos seus olhos conseguirão indicar o melhor tratamento.

Evite utilizar colírios e outras medicações sem orientação médica, pois, por não saber a origem da inflamação, pode ocorrer um agravamento dos sintomas, podendo causar até mesmo problemas mais sérios.

Portanto, ao sentir alguns dos sintomas da conjuntivite, fale conosco e agende sua consulta.

Deixe nossa equipe de especialistas te ajudar a recuperar o conforto e a clareza de sua visão, para aproveitar ao máximo os momentos felizes da sua vida!

Revisão médica: Dr. Celso Lopez

Médico oftalmologista

CRM 75275

Receba nossas novidades

Inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter.

Inscrever

Ao inscrever-se você está de acordo com as Políticas de Privacidade e Termos de uso.

Posts recentes:

Cuidar da visão é essencial para manter a qualidade de vida e desempenho no ambiente

A retinopatia diabética é uma complicação ocular que afeta pessoas com diabetes. Ela ocorre devido

A catarata é uma doença ocular que afeta o cristalino, a lente natural do olho

Agende uma Consulta
Agende agora mesmo uma avaliação oftalmológica.